Uma Introdução Geral à Mensagem de Obadias

Por Rev. Diogo Jorge Gonçalo

Texto: Obadias 1:1.

Visão de Obadias. Assim diz o Senhor Jeová acerca de Edom: Da parte de Jeová ouvimos novas, e por entre as nações foi enviado um mensageiro a dizer: Levantai-vos, e levantemo-nos contra Edom em guerra.

Introdução

Obadias é o menor livro das Sagradas Escrituras no contexto da literatura veterotestamentária. Na verdade, como bem frisou Isaltino Gomes Coelho filho, ele é menor que alguns dos Salmos e muitos dos capítulos que compõem a coletânea dos demais livros do Antigo Testamento.1 Esse opúsculo, divinamente inspirado pelo Espirito Santo, é composto de apenas vinte e um versículos. Vale a pena salientar que estes versos são distribuídos magistralmente a partir de oráculos divinos (Cf. 1: 2-4; 5-7; 8,9), dirigidos especificamente para o pais de Edom e às nações circunvizinhas (Cf. 1:2-14; 15-21).

Curioso é que mesmo sendo um livro tão rico e precioso, seja do ponto de vista teológico, histórico ou literário, Obadias é um ilustre desconhecido da Igreja Contemporânea. Quase não ouvimos sermões, estudos ou reflexões baseados neste sacrossanto livro. São poucas as obras ou comentários Bíblicos específicos a seu respeito. Porém, esse ínclito Profeta Menor pode muito bem ser comparado a um pequeno frasco de um nobre, raro e caríssimo perfume que, uma vez aberto, manifesta e exala a beleza, a magnitude e a riqueza do seu conteúdo. Faço minhas as palavras de David W. Baker, “o truísmo de que os “melhores perfumes vêm nos menores frascos” foi provado na tentativa de “abrir o frasco””.2 A minha oração é para que ao “abrirmos o frasco” venhamos aspirar e nos deleitar com o mais precioso cheiro da revelação divina.

À guisa de introdução, tendo como proposito elucidar esse maravilhoso livro, destacamos algumas de suas curiosidades: Obadias, juntamente com Naum, são os únicos livros do AT que não foram citados nenhuma vez no Novo Testamento.3 Não sabemos qual a razão última que justifique o porquê deste fato. Os teólogos e exegetas não nos fornecem respostas claras à essa questão. Alguns, que seguem um víeis mais crítico ou mesmo liberal, procuram justificar afirmando que os dois profetas profetizaram na mesma linha contra os inimigos de Judá. Mas, isso parece ser uma mera coincidência.4 Ele, Habacuque, Naum e Jonas foram profetas que ministraram às nações estrangeiras. Habacuque à Babilônia, Naum e Jonas à Síria e Obadias para Edom.

Outro ponto interessante é que estamos diante de um texto poético. A estrutura do livro de Obadias é composta de poesia tipicamente hebraica. Segundo Luiz Alexandre Solano Rossi, “Sua poesia é marcada por imagens vivas que podem ser encontradas em outros livros proféticos.”5 Este mesmo autor ainda destaca que “nosso profeta escreve baseado numa rica herança de linguagem e de imagem poética.”6 Russell Normam Champlim, seguindo essa mesma linha de pensamento, afirma categoricamente que, “Obadias foi, primariamente, um poeta que exprimiu algumas questões proféticas.”

Pontos e Subpontos

1 - O Profeta e a sua Profecia “Visão de Obadias. Assim diz o Senhor...” (Ob 1a)

O livro de Obadias começa com uma palavra mui especial quando se trata de um texto inspirado, especialmente no contexto de literatura com caráter profético. A profecia dele é resultado de uma “visão” da parte do Senhor. Essa palavra é oriunda de um termo genérico da língua hebraica cujo significado básico é “revelação”. Não se trata de um ato de esquizofrenia ou esquisitice religiosa da parte do Profeta. Não é resultado de sugestão psicológica ou manipulação humana. Nem de sonhos ou imaginação. Concordo com Luiz Alexandre Solano Rossi quando diz que “ela é usada no sentido de mensagem profética, e não de uma forma estreita que pudesse designar algo como experiência visionaria.”7

Ele recebeu a sua “mensagem” diretamente de Deus para os seus destinatários (Cf. “Assim diz o Senhor”). A autoridade destes oráculos proféticos repousa no fato de constituírem-se em Palavra expressa de Deus e não simplesmente em palavras de homens. O reformador João Calvino é muito feliz ao comentar esse texto. Segundo ele, “os profetas outrora falavam assim para que somente Deus fosse ouvido entre o seu povo.”8 Deus não tem compromisso com a palavra do Profeta, mas com a sua Palavra. Portanto, é somente a Palavra de Deus que deve prevalecer na vida da Igreja. Obadias não trazia nada humano, mas divino. Ele não falava a partir de uma “visão” terrena, mas celestial. A sua pregação tem por base única o “Assim diz o Senhor”.

Mas, quem foi Obadias? A luz do texto Bíblico supracitado não temos nenhuma informação a seu respeito. Diferente de muitos dos profetas ele não nos fornece dados ou pistas a respeito de si mesmo. Não sabemos o nome de seus pais, a região onde morava ou mesmo as circunstâncias do seu nascimento e chamado. Obadias era um nome muito comum em Israel. O seu significado básico é “servo/adorador de Javé.”9

Não se trata de um pseudônimo, como querem afirmar alguns. Podemos afirmar que “não há razão para duvidarmos de que houve um profeta com esse nome, e de que a essência do livro foi escrita por ele, embora ele possa ter incorporado declarações que não fossem de sua lavra original.”10 Existem pelo menos treze personagens no contexto do AT que carregam o nome de Obadias. Porém, tirando uma tradição rabínica registrada no talmude Judaico, a qual procura identificar o mordomo do palácio de Acabe com este nobre profeta menor, que, de acordo coma maioria dos exegetas, não passa de mera especulação ou lenda, todos os demais são descartáveis à luz da análise contextual e histórica do livro de Obadias.

Porém, vale a pena salientar que muito mais importante que saber algo a respeito de quem foi o profeta é estarmos conscientes a respeito do Senhor que lhe revelou a sua mensagem. No caso de Obadias, é o SENHOR da aliança. O soberano sobre as nações. O Deus de Israel. Diante de um Deus tão grande e poderoso toda projeção humana é anulada, mesmo que seja do profeta mais piedoso, como é o caso de Obadias. Nas palavras de João Batista, convém que ele cresça e que eu diminua.

2 - O Objeto e os Destinatários da Profecia “Temos ouvido as novas do Senhor, e às nações foi enviado um mensageiro que disse: levantai-vos, e levantemo-nos contra Edom, para a guerra” (Cf. 1)

A profecia de Obadias tem como objeto principal a nação de Edom. É uma mensagem de Juízo e condenação da parte do Senhor Deus Todo poderoso em relação a esse povo orgulhoso (Cf. Ob.1-3 leia!). Mas, quem foi Edom? Qual o significado do seu nome? Donde procedem? Por que este povo é alvo de tão terrível sentença ou juízo da parte de Deus? Ao longo da nossa exposição deste maravilhoso e magnifico livro de Obadias, aprenderemos muitas coisas a respeito destes que foram os inimigos mais ferrenhos da nação de Israel. Destaco apenas algumas informações gerais, tendo em vista que o próprio texto de Obadias nos fornecerá dados mais particulares e precisos.

Edom, cujo significado básico do seu nome é “vermelho”, são os descendentes de Esaú (Cf. Gn.36:1,9). Os edomitas, ou “idumeus”, habitavam uma região privilegiada a sudeste do Mar Morto.11 Mesmo sendo oriundos do mesmo ventre da nação de Israel, tendo em vista serem descendentes legítimos de Esaú, e Israel de Jacó, filhos de Rebeca e Isaque. Este povo sempre alimentou ódio, magoa e rancor contra os seu irmãos, o povo de Judá. Basta lembrar o episódio registrado em Êxodo capitulo vinte para corroborarmos essa verdade (Cf. Nm.20:14-21 leia!). Quando o povo de Deus era massacrado pelos seus inimigos, Edom sempre fazia questão de participar das chacinas, espoliações e cativeiro, alegrando-se com tais expedientes (Cf. Sal. 137:7; Ob.10-14.). Mas, quando eles achavam que ficariam impunes de tamanha crueldade, em virtude do seu poder bélico, político, econômico e geográfico, Deus anuncia-lhes através do Profeta Obadias a sua destruição.

Porém, não podemos esquecer que os destinatários últimos destes oráculos divinos são, de fato, o povo de Judá. São “novas do Senhor” para o seu povo escolhido. Num contexto de cativeiro, opressão e ridicularizarão na vida do povo de Israel, Obadias é levantado por Deus para blasonar em alto e bom som uma mensagem profética, cujo fim ou propósito principal é trazer consolo, conforto e esperança à vida deste povo agora humilhado pelos seus inimigos. O reformador João Calvino resume o propósito de Obadias com as seguintes Palavras:

“Vemos agora, pois, o propósito do profeta: como a adversidade podia ter enfraquecido os israelitas e até mesmo os levar ao colapso completo, o profeta aqui aplica consolo e dá apoio às suas mentes deprimidas, pois o Senhor logo atentaria para eles e tomaria a devida vingança sobre os inimigos deles.”12

Não podemos esquecer que a base da esperança, consolo e conforto deste povo é teológica, e não psicológica. Não se trata de auto ajuda, mas de ajuda do Alto. A soberania de Deus e a sua providencia divina são apresentadas no livro de Obadias como sendo as fontes inexoráveis de confiança para a vida do seu povo. Obadias destaca que Deus é o Senhor da história (Cf.3 Leia!).

Conclusão

Concluo esta primeira mensagem dizendo que Obadias é de fato um ilustre desconhecido da Igreja contemporânea. Muitas coisas em seu texto (Ex: Autor, Data, Contexto histórico etc.) permanecem como uma incógnita para o mais acurado e experiente exegeta. Porém, uma coisa é clara e inconfundível neste opúsculo sacrossanto: a mensagem para todas as nações de que “o reino será do Senhor” (Cf. 21c). Aleluia!

  1. COELHO, Filho Isaltino Gomes. Obadias e Sofonias: Nossos Contemporâneos. Rio de Janeiro RJ. Ed. JUERP. 1993.p 9.
  2. BAKER. David Weston. Série cultura Bíblica: Obadias, Jonas, Miqueias, Naum, Habacuque e Sofonias Introdução e Comentário. Ed Vida Nova. SP. 2001p 23.
  3. LOPES, Hernandes dias. Obadias e Ageu: uma mensagem urgente de Deus à igreja contemporânea (comentários expositivos Hagnos). SP 2009.p 11.
  4. COELHO, Filho Isaltino Gomes. Obadias e Sofonias: Nossos Contemporâneos. Rio de Janeiro RJ. Ed. JUERP. 1993.p 9.
  5. SOLANO, Rossi Luiz Alexandre. Como Ler o livro de Abdias: Profeta da solidariedade. São Paulo SP. Paulus. 2 edição 2006.p 8.
  6. Ibid.
  7. SOLANO, Rossi Luiz Alexandre. Como ler o livro de Abdias: Profeta da solidariedade. São Paulo SP. Paulus. 2 edição 2006. p 14.
  8. CALVINO, João. Comentário Sobre Obadias. Tradução Wanderson Moura da Silva. Site: www.monergismo.com. P 6.
  9. BAKER. David Weston. Série cultura Bíblica: Obadias, Jonas, Miqueias, Naum, Habacuque e Sofonias Introdução e Comentário. Ed Vida Nova. SP. 2001p 27.
  10. CHAMPLIM, Russel Normam. ntigo Testamento Interpretado Versículo por versículo Vol. 5 (Isaias - Malaquias). Ed Hagnos. SP 1998.p 3537.
  11. BAKER. David Weston. Série cultura Bíblica: Obadias, Jonas, Miqueias, Naum, Habacuque e Sofonias Introdução e Comentário. Ed Vida Nova. SP. 2001p 25.
  12. CALVINO, João. Comentário Sobre Obadias. Tradução Wanderson Moura da Silva. Site: www.monergismo.com. P 4.

COMUNICADO:

Os textos completos destas séries de sermões expositivos serão publicados e lançados em livro logo em breve.

Rogamos as suas orações em prol deste projeto.

Agenda Semanal

Quartas-Feiras:19:30 - Culto de Louvor e Adoração
Domingos:9:00 - Culto de Louvor e Adoração, Exposição Bíblica
18:30 - Culto de Louvor e Adoração, Mensagem Expositiva

Obs: De terça à sexta dos períodos da manhã, o reverendo Diogo Jorge encontra-se no gabinete pastoral dedicando-se aos seus estudos e pesquisas pessoais e em disponibilidade para os aconselhamentos pastorais.

Confira outras...

Séries de Pregações Expositivas

IGREJA PRESBITERIANA
DO PIRANGI

Rua Paineiras, 4630

Conj. Pirangi III,

Natal/RN

CEP 59088-460

FONE: (84) 3217-5220

CNPJ: 24.366.270/0001-89